Sábado, 19 de Julho de 2008

Não serve por uma única e importante razão: uma praça tradicional está, na grande maioria das vezes, mais arrumada que um hipermercado ou supermercado.
É irritante (e será perigoso até acontecer, um dia) fazer quaisquer compras nos 'nossos' grandes grupos de distribuição. Chamemos-lhes, claramente, pelas insígnias: Modelo, Continente, Feira Nova, Pingo Doce, Jumbo e Intermarché.
Irritante pelos corredores ora atravancados de paletes, ora de carrinhos-contentores cheios de desperdícios de caixas de cartão, ora de contentores plásticos carregados de géneros para venda em locais onde uma cadeira de rodas não passa, e neste último caso, grave, porque é apenas a ânsia de vender na esquina estratégica que tolda a razão.

Para além do aspecto de desmazelo que pode definitivamente passar -todos sabemos a importância da reposição de produtos, mas todos sabemos também que pode passar por uma questão de bom senso em termos de horários- o acidente gratuito com os clientes que ali largam a nota, está à mão de semear.
Todos, sem excepção, fazem desta prática de reposição a 'horas de ponta' o seu forte, quando a 'hora de ponta' não existe, também lá estão, ou seja, na prática estão sempre presentes.
Nada tenho contra a reposição, tenho sim, do modo como ela é efectuada, sabendo que existe alternativas aos porta-paletes no mercado e até bem melhor do que eu, saberá quem gere esta indústria. Eu faço apenas o meu papel de cliente-pagador que não tem de encontrar em todos os corredores lineares tapados ou com impedimento de paletes aquilo que vou à procura.

Hoje, esbarrei numa dessas esquinas com um dos múltiplos porta-paletes 'fora de mão'. Podia ter resultado no tal acidente que poderia estragar um Sábado. Pedi a presença do chefe de loja: não estava. Valeu a cortesia e o profissionalismo da colaboradora que falou comigo. Ponto de vista para aqui, ponto de vista para ali, argumento para cima, contra-argumento para baixo, a razão assistia-me e disso não houve dúvidas. A questão local parou ali, mas aí no norte, meu caro, prepara-te porque a cartita vai a seguir.

Como dizia um batráquio francês: é totalmente inaceitável, meus caros senhores da 'grande distribuição' que v.exas. insistam em transformar as vossas grandes ou pequenas superfícies no modelo de armazém de retém. Só faltará mesmo, a genial opção de colocar empilhadores no circuito dos clientes.
É curioso, mas não vejo isto -pelo menos desta forma agressiva e atravancada- no 'El Corte Inglés'. Eu sei que é mais caro, que não tem talões, que não é o 'sítio do costume' e que não é mosqueteiro de coisa alguma, mas que diabo, deve ter uma coisa boa pelo menos: talvez o respeito por quem lhe dá os euros para pagar a renda, não considerando esses, um estorvo à prática repositória do seu estabelecimento.


publicado por LMB às 22:43 | link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
Março 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
13

15
16

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


posts recentes

Books Invoicing

a propósito: o universo c...

limpar portugal

lx: debaixo dos pés

é a vida

pangea ultima

PECa

memória: peggy lee

iSilly

'like angels'

arquivos

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Agosto 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Janeiro 2006

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Abril 2005

Setembro 2004

Abril 2004

tags

37/2007

500 miles

7 maravilhas

abril

agostinho da silva

água

alentejo

algarve

allsopp

amazon

american

amero

amigos

anatomia

anos 60

apollo

apollonius

apple

apple. mac

applestore

apr

arrábida

arrabida

art building

arte

artsoft

astarte

atlântida

att

auschwitz

auto

azeitão

bacalhau

bairro alto

banco

bento

berenice abbott

biblia

bic

bijagós

bizplan

boi

casa portuguesa

computing

cosmos

creiro

cromos

cupertino

dakar

design

dias da radio

do fundo do baú

erp

europa

fiat

fred astaire

gene kelly

gourmet

hansaworld

história

ido mas não esquecido

igreja

iphone

ipod

jazz

lisboa

mac

mac os x

macworld

mafra

marketing

marte

memoria

merchandising

microsoft

mirror world

modelo

motor

mundo

natal

new york

nova iorque

outono

pavarotti

porto

portugal

renovaveis

rodrigo leão

rtp

russia

service

setubal

sic

star tracking

tejo

titanic

trizle

universo

verão

vida

todas as tags

blogs SAPO
subscrever feeds