Sábado, 26.05.07



















[...]A urbanização da Quinta de Santa Catarina efectua-se na época áurea dos Descobrimentos, num contexto de um amplo programa de renovação urbana patrocinado pelo rei D.Manuel I, dentro e fora dos muros da cidade. A quinta situava-se junto às Portas de Santa Catarina(actual Largo das Duas Igrejas), de onde saía, perpendicularmente à cerca fernandina, o principal caminho da cidade para o termo ocidental, a estrada de Santo ou da Horta Navia (actual eixo formado pela Rua do Loreto, Calhariz e Calçada do Combro), que separava duas herdades de grandes dimenções, ambas propriadade do físico e astrónomo da corte Ghedália Palaçano.[...] É pela herdade sul, conhecida por Quinta da Boavista, que loteamento se inicia, ainda nos finais do séc.XV. A partir de 1513 prossegue para a Quinta de Santa Catarina que se prolongava a norte da Estrada de Santo até ao sítio dos Moinhos de Vento. A família dos Andrades teve um papel central no processo de urbanização destas duas quintas, tanto que inicialmente o novo bairro era conhecido por Vila Nova de Andrade. Com a instalação dos padres da Companhia de Jesus, a partir de 1553, na Igreja de S.Roque, os quarteirões a norte da Estrada de Santos passaram a ser conhecidos por Bairro Alto de S.Roque. Dinamizadores de nova fase de urbanização, os jesuítas atraem para o bairro uma população fidalga.[...] As histórias que o Bairro Alto encerra são múltiplas. De entre muitas facetas passíveis de destaque, salienta-se uma, quinhentos anos após o seu nascimento:o carácter inovador do seu urbanismo renascentista. A urbanização foi efectuada de acordo com um plano orientador, em lotes de medidas proporcionais e todos os edifícios, conventos e palácios incluídos, eram obrigados a alinhar as suas fachadas pela via pública, para onde as janelas de sacada podiam apenas sobressair dois palmos. Tanto a composição arquitectónica como a malha urbana ortogonal, de largas ruas principais perpendiculares ao rio e cortadas por travessas, obedeciam a normas emanadas pelo poder central segundo princípios de racionalidade, arejamento e exposição solar.[...] fonte: CML

Pois bem, à parte das linhas orientadoras que estiveram na génese da edificação, de resto, muito próximas, àquilo que hoje constatamos no actual Bairro Alto lisboeta, a desagradável surpresa vem com contornos de 'actualidade importada'. É um cenário nojento o que se encontra num dos mais famosos -por diversas razões que não esta- bairros da capital. É absolutamente irracional as séries infindáveis de pseudo graffitis, tags e outras 'assinaturas' estranhas que percorrem paredes, janelas, portas e tudo o mais que estiver ao alcance da lata de spray, por ruas inteiras. Nem edifícios em recuperação escapam.
Há anos que não percorria a pé (e não sou um entusiasta por aí além) as várias ruas do dito bairro; fi-lo hoje de manhã depois de umas bicas na Brasileira do Chiado e pastéis de nata gelados (ahh, fama!) e, apesar de ter conhecimento que não iria encontrar paredes alvas e ruas imaculadas, não me passava pela cabeça o cenário degradante que iria deparar naquele labirinto de ruas.


publicado por LMB às 22:19 | link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
Março 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
13

15
16

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


posts recentes

War zone

arquivos

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Agosto 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Janeiro 2006

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Abril 2005

Setembro 2004

Abril 2004

tags

37/2007

500 miles

7 maravilhas

abril

agostinho da silva

água

alentejo

algarve

allsopp

amazon

american

amero

amigos

anatomia

anos 60

apollo

apollonius

apple

apple. mac

applestore

apr

arrábida

arrabida

art building

arte

artsoft

astarte

atlântida

att

auschwitz

auto

azeitão

bacalhau

bairro alto

banco

bento

berenice abbott

biblia

bic

bijagós

bizplan

boi

casa portuguesa

computing

cosmos

creiro

cromos

cupertino

dakar

design

dias da radio

do fundo do baú

erp

europa

fiat

fred astaire

gene kelly

gourmet

hansaworld

história

ido mas não esquecido

igreja

iphone

ipod

jazz

lisboa

mac

mac os x

macworld

mafra

marketing

marte

memoria

merchandising

microsoft

mirror world

modelo

motor

mundo

natal

new york

nova iorque

outono

pavarotti

porto

portugal

renovaveis

rodrigo leão

rtp

russia

service

setubal

sic

star tracking

tejo

titanic

trizle

universo

verão

vida

todas as tags

gestão para Mac
Image and video hosting by TinyPic
blogs SAPO
subscrever feeds