Terça-feira, 25 de Abril de 2006



Sabe bem ver aquelas paredes brancas com rebordo a azul tremendamente imaculadas, livres da "expressão artística urbana import-export", vulgo "grafitti" de riscos e caracteres extra-galáxia.
É a primeira romaria da zona: 22 & 23 de cada Abril. De tão pequena que é, raros são aqueles que dão conta. Mais pequeno ainda o local: a capela de S.Luís da Serra. Mais de 330 anos bem vividos e melhor conservados, lá estão no topo de tudo. O santo, esse, pelo que o povo conta, continua a proteger o gado; uma infinidade de ex-votos atesta precisamente isso e rara é a forma humana.
É bom saber que o meu homónimo está mesmo aqui ao lado. Nunca se sabe.


publicado por LMB às 17:07 | link do post | comentar | favorito



Faz hoje 32 anos que me safei da aula de Latim ao primeiro tempo, logo pela fresquinha.
Depois, percebi porquê. Depois ainda, explicaram-me mais e melhor. E foi bom entender.
Hoje, constato que muitos da geração "baby boomer", não entenderam. É pena.
"25 quê? Ah... o feriado. E faz ponte?..."

A liberdade está (ainda) a passar por aqui?


publicado por LMB às 16:43 | link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 24 de Abril de 2006


Há poucos anos atrás, passou-me pela cabeça contratar um dos melhores -senão mesmo O melhor- desenhador especialista em anamorfose, aquelas imagens tão tridimensionalmente reais que até nos desviamos delas. Julian Beever é o artista. O pavimento ou um mural é o espaço de eleição. A obra e o poder de captação é assustadoramente enorme.
Por outro lado, uma visão tremendamente míope de alguns na altura, ditou que Julian ficasse com outros pavimentos europeus, não a lusa calçada. Hélas.
Hoje, recebi um email anunciando as novas obras.
Cool, Beever!


publicado por LMB às 12:30 | link do post | comentar | favorito

Sábado, 22 de Abril de 2006

Se há flash noticioso que me tece arrepios, ele chama-se "tvi negócios". Arrepios, de duas formas: uma porque, raramente, emite boas notícias; a outra, porque não raras vezes, pouco ou nada se relaciona com "negócios".
Com um patrocínio de uma entidade bancária, seria legítimo pensar que traria informação sobre o aspecto positivo dos negócios que neste país ainda vão acontecendo, fossem eles dos grandes grupos instalados ou por instalar, fossem de empreendedores arrojados ou conservadores, mas, que fosse notícia de negócio.
O que se assiste maioritariamente, em parcos segundos, é um quase RSS do menos bom que por aqui acontece: ou a reforma subiu para uma outra idade, ou as rendas de casa alteram não tarda nada, ou isto ou aquilo que, de certa forma, estará relacionado com a economia, mas que não traduz o propósito da "sponsorização" e muito menos dá a lufada de ar fresco empresarial que até poderia passar, em segundos que fosse.
Nope! Não patrocinaria nunca um flash do "coitadinho".
negócio
do Lat. negotiu
s. m.,
comércio;
transacção mercantil;
empresa;
contrato;
qualquer assunto que envolve lucro ou interesse;



publicado por LMB às 16:35 | link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 10 de Abril de 2006
Like no other (desculpa lá Sony).

http://youtube.com/watch?v=8FmeTk7yot0





publicado por LMB às 19:28 | link do post | comentar | favorito

...não necessariamente por esta ordem.



publicado por LMB às 18:06 | link do post | comentar | favorito

Sábado, 8 de Abril de 2006

Há momentos tão criativos que são irrepetíveis na maioria dos casos. Este anúncio a uma firma funerária é absolutamente genial!
De resto, até me atreveria a recomendar alguns potenciais clientes...

Créditos funnypart.com


publicado por LMB às 01:02 | link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 7 de Abril de 2006

A técnica, de facto, não é muito inovadora. "Voicevertising" a bem dizer, já as nossas lusas varinas faziam até há bem pouco tempo atrás pelas ruas da capital e outras que tal. A época era outra, sem sombra de dúvida, a internet e o computador seria algo estranho saído de algum esquiço de Jules Verne, o eBay talvez um porto de abrigo nas 20.000 léguas submarinas. Enfim, tudo, na altura muito distante.
Vem isto a propósito de uma publicação internacional que hoje recebi e de uma matéria sobre a originalidade do marketing, conta-se rápido:

O jovem Floyd Hayes, indígena de Brooklyn, NY, decidiu colocar no eBay os seus serviços que designou por "voicevertising", o qual se dispunha a gritar todos os quinze minutos e durante uma semana, não importa onde (bares, casamentos, elevadores, congressos, etc, etc e muito) o nome/produto do anunciante. A coisa pegou. A Halls® fruit breezers (daqueles rebuçados fortes e frios) fechou o leilão. Afinal, que melhor meio poderiam arranjar do que uma garganta fresca? Floyd agradece.


publicado por LMB às 17:36 | link do post | comentar | favorito

Quinta-feira, 6 de Abril de 2006

Absolutamente criativo.
http://www.mikeindustries.com/blog/archive/2005/12/ipod-giveaway-7-steve-jobs#comments


publicado por LMB às 23:39 | link do post | comentar | favorito



Realmente devo ser um privilegiado: Michael Spindler, Gil Amelio e Steve Jobs passaram por este tão portuga aperto-de-mão deste não menos portuga bloguista, em épocas diferentes da "million dollar baby factory" de Cupertino. Só nunca me cruzei com o tio Gates. Mas tenho a estranha sensação que isso ainda vai acontecer.
Boot Camp é o pontapé de saída para muita coisa, teoricamente diferente, daqui para a frente no universo Apple, que, deixa de ser aquele reduto de uma imeeeeeensa minoria.
Bute aí Jobs.


publicado por LMB às 23:10 | link do post | comentar | favorito



G é um caso de sucesso. É, de facto, aquilo que se poderia apelidar de Z-man, Self-made ou Action Man; pessoalmente, creio que é de acção que ele é feito.
A história (mais estória do que) quase que podia começar assim:
"Era uma vez, três estarolas que...", no entanto, nada de conto para-criancinha-adormecer existe nesta aventura que começou há quase vinte anos. Entre mudanças várias ao longo destes 228 meses, o certo é que G conseguiu consolidar um projecto e a coisa aí está para continuar e durar.

É adjectivamente feliz por saber que tem construído uma das mais prestigiadas fazedoras de aplicações de gestão empresarial deste luso quintal.

Como dizia "o outro": ["...perde-se nas brumas do tempo..."] o próprio tempo em que até do banco de um velho Simca saíam tiros certeiros para um mercado ainda debutante nas lides informáticas e a anos-luz de pensar que um dia a Star Trek cibernética seria uma realidade.

G não é imune ao passar dos anos, mas só geneticamente; o vernacular portuga está sempre presente para ilustrar melhor os temas, a ebulição é mais rápida que o vulcão dos Capelinhos, mas é esta fibra -óptica- que o define. Já ninguém leva a mal.
Tem a fantástica sorte por ter a C como contra-ponto, desde sempre.

G continua com o seu clássico problema: a dificuldade de delegar. G não é o centro do mundo, mas poderão alguns de gostar que assim seja. C'est la vie.


publicado por LMB às 15:04 | link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
Março 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
13

15
16

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


posts recentes

Books Invoicing

a propósito: o universo c...

limpar portugal

lx: debaixo dos pés

é a vida

pangea ultima

PECa

memória: peggy lee

iSilly

'like angels'

arquivos

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Agosto 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Janeiro 2006

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Abril 2005

Setembro 2004

Abril 2004

tags

37/2007

500 miles

7 maravilhas

abril

agostinho da silva

água

alentejo

algarve

allsopp

amazon

american

amero

amigos

anatomia

anos 60

apollo

apollonius

apple

apple. mac

applestore

apr

arrábida

arrabida

art building

arte

artsoft

astarte

atlântida

att

auschwitz

auto

azeitão

bacalhau

bairro alto

banco

bento

berenice abbott

biblia

bic

bijagós

bizplan

boi

casa portuguesa

computing

cosmos

creiro

cromos

cupertino

dakar

design

dias da radio

do fundo do baú

erp

europa

fiat

fred astaire

gene kelly

gourmet

hansaworld

história

ido mas não esquecido

igreja

iphone

ipod

jazz

lisboa

mac

mac os x

macworld

mafra

marketing

marte

memoria

merchandising

microsoft

mirror world

modelo

motor

mundo

natal

new york

nova iorque

outono

pavarotti

porto

portugal

renovaveis

rodrigo leão

rtp

russia

service

setubal

sic

star tracking

tejo

titanic

trizle

universo

verão

vida

todas as tags

gestão para Mac
Image and video hosting by TinyPic
blogs SAPO
subscrever feeds